Você está sendo enganado! Saiba como diferenciar sucos saudáveis no mercado

 Você está sendo enganado! Saiba como diferenciar sucos saudáveis no mercado

Nos corredores dos supermercados, vemos uma variedade de sucos, com quase a mesma embalagem e letras minúsculas para diferenciar um do outro. Eles são destinados a satisfazer uma ampla gama de preferências, orçamentos e alimentação. No entanto, é prudente diferenciar os saudáveis

Suco natural, polpa, refresco, integral ou néctar da fruta? Cultivar o hábito de examinar os rótulos é crucial, evitando assim adquirir produtos de qualidade duvidosa apenas devido ao seu preço reduzido. Alguns destes itens podem, inclusive, prejudicar a saúde se consumidos em excesso.

diferença

Suco natural: suco da fruta ou vegetal espremido ou produzido na hora, com ou sem adição de água.

Anúncio:
Banner da Prefeitura de Santo André

Suco integral: também conhecido como sumo. É a bebida industrializada não fermentada, não concentrada e não diluída obtida da fruta ou parte do vegetal de origem. No suco fica proibido a adição de corantes e aromas artificiais. Não pode receber adição de água e nem açúcar.

Suco orgânico: Na INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 49, DE 26 DE SETEMBRO DE 2018, que trata a respeito do padrão de qualidade de Suco e Polpa de Fruta, não existe nenhuma definição a respeito do “suco orgânico”.

Suco adoçado: A adição de açúcar é permitida desde que atendidas as regras estabelecidas pela legislação e que contenha no rótulo os dizeres: “suco adoçado”. Também pode receber aditivos.

A quantidade de açúcar utilizada em sucos deve considerar o percentual máximo de 10% em peso (calculado em gramas de açúcar por cem gramas de suco).

Vale considerar que no caso do uso de aditivos nos sucos, a quantidade utilizada deve estar em acordo com o a resolução RDC ANVISA n°s 7 e 8, ambas de 6 de março de 2013.

Suco concentrado: parcialmente desidratados. Necessitam da adição de água para serem consumidos. Contém açúcar, aromatizantes e conservantes em suas fórmulas.

Suco tropical: nele são enquadradas bebidas não-fermentadas, diluídas em água ou em suco clarificado (método utilizado para eliminar partículas em suspensão no suco) com a polpa da fruta de origem tropical (manga, caju, açaí, acerola e outros). Pode receber adição de açúcar e aditivos também.

Suco gaseificado: Pode receber adição de dióxido de carbono e passar a ser uma bebida gaseificada, desde que contenha no rótulo “suco de … gaseificado”. Pode receber adição de açúcar e de aditivos.

Néctar: bebida não fermentada, na qual a parte comestível do vegetal ou seu extrato é diluído em água. Pode receber adição de açúcar, sendo destinado ao consumo direto.

De acordo com a IN nº 42/2013, néctar de laranja e uva devem conter, no mínimo, 50% (massa/massa) da parte comestível do vegetal. Para outras frutas ou vegetais, deve-se conter um mínimo de 30% (m/m), considerando ainda o nível de acidez que o vegetal possui. Se essa acidez for elevada ou se o gosto da fruta for muito forte, o néctar pode ter até o mínimo de 20% da fruta.