Mito ou Realidade? Conheça a Síndrome de Peter Pan e o que dizem os psicólogos

 Mito ou Realidade? Conheça a Síndrome de Peter Pan e o que dizem os psicólogos

Quem nunca ouviu falar na história de Peter Pan? O menino que não queria crescer é uma das fábulas mais famosas do mundo e já recebeu uma série de adaptações tanto em formato de livros, quadrinhos, filmes e animações, como a da Disney, uma das mais queridas pelo público. Porém, sua fama, deu nome há uma das síndromes psicológicas mais comentadas na atualidade.

Apesar de seu inicio controverso a Síndrome de Peter Pan teve, a partir de 1983, com a publicação do livro de mesmo nome, escrito por Dr. Dan Kiley, o seu reconhecimento oficial e então sua aceitação, tornando uma realidade trabalhada em consultórios no mundo todo.

criança fazendo birra no vipzinho

Com inicio na criação tida desde a infância, a síndrome apresenta um quadro já com o individuo adulto, que apresenta certa infantilidade ou falta de amadurecimento em questões psicológicas, físicas, sexuais e emocionais, evidenciadas por comportamentos e possui maior incidência em homens do que em mulheres, mesmo que estas não estejam completamente alheias a possibilidade.

De acordo com a Vanessa Vigatto (Rua José Versolato, 111, Torre B, Sala 817 – Centro, São Bernardo), psicanalista e psicopedagoga infantil, os pontos mais marcantes em quem sofre da síndrome é a irresponsabilidade, negação em relação ao envelhecimento natural e rebeldia, com traços de narcisismo. A imaturidade se agrava causando quase que uma ilusão, onde o indivíduo pensa poder fazer tudo o que lhe agrada, sem consequências, movidos principalmente por seu próprio ego.

Anúncio:
Banner da Prefeitura de Santo André

 

No caso, a família acaba por ter um papel fundamental para garantir que esse tipo de situação não se instaure, já que sua fundamentação ocorre principalmente na infância e a transição na pré-adolescência. Normalmente um dos problemas de maior impacto é a superproteção dos pais, e a falta de controle, a permissividade, com relação as ações dentro e fora de casa. 

síndrome de peter pan no vipzinho

O tratamento é possível, porém leva seu tempo, sendo indeterminado devido a complexidade dos temas abordados e as origens de cada um deles. O ideal é evitar que a Síndrome de Peter Pan se instale logo no inicio, portanto é importante que se faça avaliações com a psicoterapeuta ou psicóloga, acompanhando assim o processo de crescimento da criança em todos os âmbitos, principalmente caso os pais percebam certos comportamentos de resistência e desobediência forte no pequeno, ou até mesmo em suas próprias sensações em comandar a casa como pais. 

Vigatto reforça a necessidade do acompanhamento desde cedo, devido também aos impactos futuros que a síndrome pode causar, afetando a liberdade e independência dos filhos, o que deveria ser natural, mas que tendem a seguir na casa dos pais, mesmo após o crescimento até a fase adulta.

vanessa vigatto psicopedagoga