‘Acabou e não me falaram?’ – Psicologia explica o que leva as pessoas a saírem do isolamento

 ‘Acabou e não me falaram?’ – Psicologia explica o que leva as pessoas a saírem do isolamento

Após o inicio da pandemia houve uma sensação de medo e uma série de incertezas com relação a tudo o que estava ocorrendo e principalmente ao que viria em seguida. Apesar da insegurança, as famílias iniciaram seu retorno as ruas, mesmo antes do fim do isolamento. E como as pessoas puderam fazer isso? Elas não tiveram mais medo? 

Segundo nossos parceiros, psicólogos da clínica Multiterapia (Avenida Industrial, 1680 – sala 214 – Torre II – Bairro Jardim – Santo André),  após a passagem da tensão e medo iniciais, é perceptível que as pessoas iniciem saídas de forma mais corriqueira. Isso acontece devido a diminuição da ação do cérebro em relação aos perigos, como o de se infectar por um vírus, como é o caso. nesse momento as partes do cérebro responsáveis por cuidar desses sinais, passam a falhar com o tempo. Isso tem se chamado de “Fadiga da Quarentena” ou falência adaptativa.

fim de isolamento no vipzinho

Formado por uma maioria mais jovem, que acredita ser mais resistente ao vírus do que idosos, mesmo com números grandes apontando para diversas idades, esse grupo de pessoas que tem burlado o isolamento foi aumentando rapidamente, reiniciando encontros em grandes quantidades de pessoas, como churrascos ou passeios na praia, por exemplo.

Um aspecto também que afeta esse conflito entre ficar em casa ou sair, é a ansiedade e falta de informações referentes ao tempo de duração da pandemia. Principalmente para quem está procurando por emprego ou teve de continuar trabalhando, sente que seria um impacto mais negativos em suas vida a paralização total. Porém fica claro que as saídas podem sim ter um efeito negativo, mesmo que tardio, pois há uma tendência a ignorar os efeitos da doença e seu impacto como algo real, a atenção ela deve se manter, visto que já houve aumentos em países que haviam feito a reabertura completa, a chamada segunda onda.

fim de isolamento no vipzinho

Os estímulos vindos de notícias e diretamente do governo também influenciam as opiniões e as decisões de saída. Apesar da sensação e da necessidade que todos sentem dos relacionamentos e encontros, é crucial que se mantenha um distanciamento e se evite aglomerações, seguindo a higienização adequada.

O isolamento, tanto quanto a saída, pode ter efeitos psicológicos fortes, sendo necessário atenção e cuidado para lidar com o assunto na maior parte do tempo. A Multiterapia atua com o sistema integrado de diversas especialidades para um melhor atendimento e praticidade nos tratamentos, com especialistas que sabem bem lidar com os pequenos, ajudando cada um a superar seus desafios.